Regional da Transamazônica orienta sobre como identificar e tratar uma crise de ansiedade

Really bad news about my home finances

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o transtorno atinge 18,6 milhões de brasileiros

Nervosismo durante uma apresentação no trabalho, taquicardia ao lembrar de algum assunto ou simplesmente suar frio durante uma prova. Sentimentos como esses podem indicar ansiedade, afirmam especialistas.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 18,6 milhões de brasileiros convivem com o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

A psicóloga clínica da Pró-Saúde, Beatriz Magalhães, que atua no Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira, explica que a ansiedade é uma reação natural do corpo, mas pode se tornar um distúrbio e precisar de tratamento quando começa a atrapalhar o dia a dia da pessoa.

“É um sentimento normal que está presente quando sentimos medo, dúvida ou quando criamos expectativas sobre algo. Mas pode se tornar uma doença quando você observa que as crises são rotineiras em vivências estressantes e traumáticas”, detalha a psicóloga, que relata ainda que o transtorno pode desencadear sintomas físicos e psicológicos, que estão conectados.

Os sintomas psicológicos, muitas vezes, podem se apresentar como sentimentos desagradáveis de tensão, medo, irritabilidade, angústia e dificuldade de relaxamento.

Já os sintomas físicos da ansiedade podem aparecer como taquicardia, aumento da frequência respiratória, formigamento no corpo, falta de ar, boca seca, sudorese, mãos frias, entre outros.

Controle e prevenção da ansiedade

Quando a ansiedade compromete as atividades do dia a dia, a recomendação é buscar ajuda de profissionais qualificados, podendo ser psicólogos ou psiquiatras.

“Iniciando o acompanhamento, o paciente recebe o suporte mais amplo e adequado para o seu caso. Isso influencia diretamente e positivamente na melhora da qualidade de vida”, esclarece a psicóloga.

De acordo com Beatriz, uma rotina com alimentação saudável, boas noites de sono e atividades físicas são algumas formas de prevenir a ansiedade.

“A prática de exercícios libera endorfina e dopamina, substâncias que auxiliam no aumento do bem-estar. Outro ponto importante é dormir bem. O sono reparador traz benefícios para a saúde, além de melhorar o humor e o estresse”, completa.

A profissional indica outras formas de controlar a ansiedade, com mudança de hábitos na rotina. “Aprender a controlar a própria respiração, realizar uma atividade prazerosa e até mesmo a meditação podem contribuir muito para controlar a ansiedade”, finaliza a psicóloga.

Ações no HRPT

Constantemente, os colaboradores do Regional da Transamazônica participam de atividades educativas, sociais e de lazer, com o intuito conscientizar sobre a importância e os cuidados com a saúde mental.

Neste mês, a unidade realizará palestras informativas sobre a campanha Setembro Amarelo, que tem como objetivo conscientizar a população sobre a prevenção ao suicídio.

O Hospital Regional Público da Transamazônica é reconhecido nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O reconhecimento atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.