Hospital Regional da Transamazônica realiza ação de conscientização sobre o aleitamento materno

Com roda de conversa sobre tema, unidade buscou sensibilizar sobre a importância do alimento para os recém-nascidos em atendimento nas UTIs

O Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, realizou na última sexta-feira (26) uma roda de conversa com o tema “Agosto Dourado”, mês do incentivo à amamentação. A ação contou com a participação das mães dos bebês em atendimento nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) Neonatais, Pediátricas e de Cuidados Intermediários da unidade.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam a amamentação exclusiva dos bebês por seis meses, seguindo com alimentação complementar até dois anos ou mais. O leite humano é o alimento mais completo para o bebê. Além da nutrição, ele proporciona diversos benefícios, como a diminuição da mortalidade infantil e prevenção de infecções.

A fonoaudióloga Nayana Mengoni explica que, diante do perfil assistencial da unidade, muitos bebês não conseguem, em um primeiro momento, mamar diretamente no seio. “Por conta da condição clínica, é comum que a mãe precise realizar a ordenha para que o leite seja dado via sonda. Infelizmente, essa falta de contato inicial pode gerar frustrações e desestimular a mãe em relação ao aleitamento, por isso, as ações da unidade tiveram como foco justamente esse incentivo e acolhimento”, destaca a profissional.

Durante o encontro, profissionais da unidade abordaram os aspectos emocionais positivos da amamentação e as vivências do amamentar sob a ótica da experiência individual de cada mulher. Posteriormente, as mães receberam, de forma individualizada, orientações sobre técnicas de aleitamento materno.

Rafaela Rizzi, do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do hospital, responsável pela organização da ação, lembra que durante internação hospitalar, os bebês passam por uma série de procedimentos e, no caso dos prematuros, o quadro é agravado pelo baixo peso.

“A nutrição é uma importante aliada para a recuperação clínica. Por isso, é essencial incentivar a manutenção do aleitamento, mesmo em condições diferentes das idealizadas pelas mães. Se ela se sentir apoiada, instruída e confiante, seu vínculo com o bebê é fortalecido, favorecendo a manutenção da amamentação”, enfatiza a profissional.

O Regional Público da Transamazônica pertence ao Governo do Estado, sendo o único hospital na região do Xingu que possui cinco leitos de Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, cinco de UTI Infantil e quatro de berçário de alto risco.

Referência para atendimento de urgência e emergência, a unidade presta atendimento de média e alta complexidades, sendo referência para mais de 500 mil pessoas nos nove municípios da região do Xingu. Gerenciada pela Pró-Saúde, a unidade possui a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O reconhecimento atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.