Hospital Regional da Transamazônica celebra 15 anos com 3,8 milhões de atendimentos

O Hospital Regional Público da Transamazônica, unidade referência para mais de 500 mil pessoas na região do Xingu, celebrou nesta terça-feira (7), 15 anos de serviços de saúde prestados à população paraense.

Fundado em dezembro de 2006, a unidade soma números importantes, que mostram sua relevância para os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde). Ao longo do período, foram realizados mais de 3,8 milhões de atendimentos, entre cirurgias, consultas, internações e até partos de alto risco, entre outros.

A unidade, que pertence ao Governo do Pará e é gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde desde a sua inauguração, oferta mais de 20 especialidades. A mais recente, implantada no mês de outubro, é a Neuropediatria, com a oferta de 150 consultas ambulatoriais por mês e 130 exames de eletroencefalograma.

Nesta terça-feira, uma programação especial marcou a celebração dos 15 anos de fundação do Regional da Transamazônica. Uma missa no jardim da unidade foi realizada para fazer a abertura da comemoração, em seguida, houve a apresentação musical da Banda do 51º Batalhão de Infantaria de Selva – (51º BIS).

Por fim, 50 colaboradores foram homenageados e receberam um certificado de reconhecimento da direção do hospital, pelos serviços prestados ao longo desses 15 anos.

O evento seguiu todas as recomendações do Ministério da Saúde de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19).

Elaine Brigano, técnica de Segurança do Trabalho do HRPT, foi uma das homenageadas. Ela atua no hospital desde a inauguração, e iniciou sua carreira profissional na instituição como auxiliar administrativa do Núcleo de Educação Permanente (NEP), que foi pioneiro ao implantar o setor entre os regionais gerenciados pela Pró-Saúde no Pará.

Elaine atuou ainda como assistente administrativa e participou da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). “Gostei bastante da área e comecei a fazer o curso técnico. Em 2012, surgiu a vaga e me candidatei. Desde então, atuo na segurança do trabalho do HRPT. Para mim, é uma honra ser reconhecida e fazer parte de um hospital tão importante para a nossa região”, afirma a profissional.

Referência em atendimento

O HRPT é a única unidade hospitalar, na região do Xingu, a possuir um serviço de Hemodiálise. Desde 2006, foram realizadas 153 mil sessões de diálise com os pacientes da unidade, permitindo que renais crônicos do interior do Estado tenham acesso ao tratamento na própria região, sem a necessidade de deslocamento para grandes centros urbanos.

De acordo com Rosivânia Barros, que atua na unidade desde sua inauguração e hoje é coordenadora do setor de hemodiálise, o HRPT veio para preencher o vazio assistencial em saúde que existia.

“É uma grande satisfação ver o que o Hospital da Transamazônica representa hoje para nossa região, como se consolidou como principal referência de saúde. Me sinto lisonjeada de participar de tantos momentos importantes e inesquecíveis nesses 15 anos”, celebra a profissional.

Exames

O HRPT também oferece exames cujos resultados saem no mesmo dia ou podem ser consultados diretamente pela internet, para facilitar o atendimento aos pacientes oriundos de outros municípios, evitando, assim, vários deslocamentos até Altamira.

Entre os exames realizados pela unidade, estão: ultrassonografia, mamografia digital, raio-X, eletrocardiograma, ecocardiograma e análises clínicas.

Luciane Madruga, diretora Assistencial do Hospital Regional Público da Transamazônica, acompanhou de perto o surgimento da unidade. Segundo ela, o hospital nasceu com a proposta de prestar um serviço de qualidade e fundamentado no amor, na humanização e na segurança do paciente.

“Me lembro de ver alguns colaboradores na época da construção. E hoje, 15 anos depois, eles estão ocupando espaços em diversos setores. Sabemos que não foi fácil, mas temos muito orgulho de atuar no melhor hospital da região, que é falado no Brasil inteiro”, comenta.

Especialidades

No Regional da Transamazônica, mais de 20 especialidades são oferecidas, entre elas, Pediatria, Clínica Médica, Neurologia e Neurocirurgia, Cirurgia Geral, Vascular e Pediátrica. A unidade possui serviço de Urgência e emergência (referenciado), ortopedia, hemodiálise e UTIs Neonatal, Pediátrica, Adulto e Berçário de Alto Risco.

Em meio à mais grave crise sanitária enfrentada pelo país, a pandemia do novo coronavírus, o HRPT atua como referência para os casos mais graves da Covid-19 na região de integração do Xingu (Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu).

Desde abril do ano passado, a instituição instalou leitos exclusivos para tratamento da doença, chegando a contar com até 50 leitos, entre Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria. Graças a sua atuação de excelência, mais de 700 pacientes puderam voltar para casa recuperados da doença.

Certificações e prêmios

O Hospital Regional Público da Transamazônica possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, da Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade sem fins lucrativos integrada à uma rede mundial que analisa a qualidade dos hospitais.

O selo de qualidade é um dos mais importantes aplicados no Brasil. Na prática, significa que o hospital segue padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes.

Além da certificação ONA, ao longo desses 15 anos, o Hospital Regional Público da Transamazônica já recebeu diversos prêmios, como o Hospital Best (2010); Reconhecimento da Sociedade Brasileira de Nefrologia (2011); Prêmio Hospitais Saudáveis (2015) e o Reconhecimento pela adesão do Desafio de Clima — Hospitais Saudáveis (2018).

Recentemente, no mês de outubro, a unidade recebeu menções honrosas pelos projetos sustentáveis desenvolvidos no hospital, no Seminário Hospitais Saudáveis 2021, evento nacional que tem como objetivo abordar os diversos temas relacionados às questões ambientais nos estabelecimentos de saúde do país.