Reencontro emocionante com a família marca a alta de paciente que ficou intubada por 12 dias

??????????

Antonia Regiane Cardoso deu entrada no Hospital Regional Público da Transamazônica no dia 17 de abril com comprometimento pulmonar de 80%, em decorrência da Covid-19

A ansiedade e emoção de uma família na frente do Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira, chamava a atenção de todos. Com flores, balões e muito amor, eles aguardavam pela alta tão esperada de Antonia Regiane Cardoso, comerciante de 46 anos que venceu a Covid-19.

Regiane foi internada no HRPT no dia 17 de abril, após apresentar desconforto respiratório e comprometimento pulmonar de 80%. Dois dias depois, o quadro se agravou e ela precisou ser intubada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No período em que Regiane permaneceu na UTI, o acolhimento e a dedicação incansável da equipe multiprofissional fez toda a diferença para a família dela, que diariamente recebia o boletim médico da paciente.

“Tínhamos medo, chorei muito, porque estamos acostumados a ouvir por aí que, se uma pessoa é intubada, não tem mais jeito. Mas não é assim. Fomos tranquilizados pelas assistentes sociais e pela própria equipe, que explicava todos os detalhes pra gente”, afirmou Tayla Cardoso, filha única da paciente.

Após passar pelos cuidados intensivos, Regiane apresentou melhora significativa no quadro de saúde e foi transferida para a enfermaria, onde permaneceu até ser liberada para voltar para o aconchego da família.

“Estou há um mês sem ver minha família, com muita saudade deles e de casa. Não tenho palavras para agradecer o que fizeram por mim. Eles cuidaram de mim com tanto carinho. Só tenho gratidão a Deus”, comemorou a Regiane.

Na despedida, paciente e equipe se emocionaram e uma salva de palmas tomou conta do corredor do hospital, que é uma unidade do Governo do Estado, gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde e referência no tratamento de pacientes com a Covid-19 na Região do Xingu.

A enfermeira Lidiane Costa foi uma das profissionais que esteve diariamente acompanhando a paciente. Ela, que esteve presente tanto quando a paciente foi intubada e extubada, não conteve as lágrimas ao se despedir de Regiane.

“Cuidei dela desde o início, fazendo curativos, conversando e a tranquilizando. Para mim, é extremamente gratificante participar desse momento. A recuperação dela é resultado da dedicação de toda nossa equipe”, celebrou Lidiane.

Desde o início dos atendimentos dos casos de Covid-19 pelo hospital, mais de 420 pacientes já foram recuperados.

O HRPT é reconhecido nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade possui a certificação ONA 3, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), um reconhecimento que atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.