Após 10 dias intubada na UTI, paciente grave com Covid-19 recebe alta no Hospital Regional da Transamazônica

Sandra Andrade, de 43 anos, ficou internada na unidade por 21 dias ao todo, sendo 18 deles na UTI do HRPT

A tarde desta segunda-feira, 22, foi marcada por alívio e emoção no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira.

O motivo? A alta da paciente Sandra Andrade, de 43 anos, em tratamento da Covid-19, que depois de 21 dias de internação, sendo 18 deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), passou pelo corredor de aplausos e deixou a unidade após vencer a doença.

A paciente deu entrada no hospital no dia 2 de março, apresentando insuficiência respiratória aguda por complicações do novo coronavírus. Com um quadro grave, ela precisou passar imediatamente pelo procedimento de intubação na UTI da unidade, onde permaneceu por 18 dias, sendo 10 deles, intubada.

Após passar pelos cuidados intensivos, Sandra apresentou melhora significativa no quadro e foi transferida para a enfermaria exclusiva para atendimento de casos da Covid-19.

Emocionada durante a despedida, a dona de casa agradeceu por todos os cuidados que recebeu da equipe assistencial. “Essas pessoas são todos anjos na minha vida! Só posso agradecer a vocês por tudo”, celebrou a paciente.

“A Sandra reagiu muito bem ao tratamento e a recuperação dela só confirma nossa missão, que é trazer aos nossos pacientes uma assistência segura e sem danos”, afirmou Fábio Pinheiro, coordenador da UTI Covid-19.

360 pacientes recuperados

O HRPT alcança a marca de 360 pacientes recuperados da Covid-19, que retornaram para seus lares. Nesta terça-feira, o paciente Mauro Machado, de 69 anos, também deixou a unidade recuperado, após nove dias de internação na enfermaria para atendimento de casos da doença.

“Quero agradecer a todos da equipe pelo esforço que eles fazem por todos nós, pelo cuidado que nos tratam. Que Deus dê muita força para vocês”, afirmou o aposentado.

O Regional Público da Transamazônica é uma unidade que pertence ao Governo do Pará, sendo gerenciada pela Organização Social Pró-Saúde. Com atendimento 100% gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o hospital é referência para nove municípios da região de integração do Xingu.