Colaboradores passam por “Circuito de Segurança” no Hospital da Transamazônica

Você sabe o que é um EPI? É comum ver trabalhadores dos mais variados segmentos utilizando acessórios de segurança, dependendo da atividade que exercem. Luvas, capacetes, óculos, roupas específicas, botas e outros materiais são denominados Equipamentos de Proteção Individual (EPI), e são exigidos pela Norma Regulamentadora (NR) N° 6, do Ministério do Trabalho. Em um ambiente hospitalar, faz-se o uso de vários EPI’s diferentes, de acordo com cada setor. E que tal colocar todos juntos num “Circuito de Segurança”? Foi isso que fez o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT).

O Circuito consistiu em uma orientação aos colaboradores acerca dos equipamentos de segurança e de práticas que podem melhorar a qualidade de vida no ambiente de trabalho. Cada participante ganhou uma função diferente da que exerce, para assim, descobrir quais os EPI’s eram necessários. Por exemplo, uma técnica de Enfermagem tinha que dizer quais equipamentos um colaborador precisa para trabalhar na manutenção ou vice e versa.

O objetivo da iniciativa foi gerar cada vez mais conhecimento sobre a importância da segurança adequada dos colaboradores dentro da unidade. “Esses EPI’s, conforme a NR 6 e também a NR 9, têm que ser adequados aos riscos existentes no ambiente de trabalho e o nosso Circuito teve o intuito de fazer com que os colaboradores entendessem a realidade dos outros colegas. Foi importante para que eles conhecessem os outros equipamentos e também fiscalizar, podendo orientar outros colaboradores”, explica o técnico de segurança do trabalho do HRPT, Loghan Marinho.

O Circuito ocorreu no auditório da unidade e foi a atividade de encerramento da 10ª Semana Interna de Proteção de Acidentes de Trabalho (SIPAT), que aconteceu neste mês de agosto. Além das orientações do EPI, o circuito também compreendeu dicas de postura em frente ao computador; processo correto de carregamento de peso para não causar lesões na coluna; utilização e descarte corretos de materiais perfurocortantes; e esclarecimento sobre a vestimenta e uso de adornos dentro da unidade.

A preocupação com a segurança dos colaboradores segue um dos valores da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, o de valorizar e respeitar o ser humano. A Pró-Saúde é gestora do Hospital Regional Público da Transamazônica desde sua inauguração, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).