Devotosde São Camilo pedem proteção aos enfermos atendidos no Hospital RegionalPúblico da Transamazônica

Fiéis rezando o terço em frente ao HRPT. Foto: Wilson Soares

A ação foi idealizada pela Catedral da Diocese do Xingu e contou com o apoio da Pastoral da Saúde da unidade

Um momento de oração, comunhão e música marcou a noite da última segunda-feira (13), na frente ao Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira. Realizada pela Diocese do Xingu, ação foi dedicada à São Camilo de Lellis, padroeiro dos enfermos, e contou com a participação de membros do voluntariado religioso da unidade, Terço dos Homens e da Comunidade São Lázaro.

Durante a celebração, que teve apoio da Pastoral da Saúde da Pró-Saúde, entidade filantrópica responsável pela gestão do HRPT, os devotos rezaram o terço em intenção aos pacientes internados no hospital e dos trabalhadores da saúde, proporcionando um momento de fé e esperança.

De acordo com Paulo Felisberto, multiplicador da Pastoral da Saúde do HRPT, a ação tem o objetivo de levar esperança e fortalecer pacientes, acompanhantes e colaboradores que estão na linha de frente do combate à Covid-19. “As Paróquias e Igrejas sempre se disponibilizam a participar e promover momentos como esse. A oração é uma forte aliada, principalmente em ocasiões complicadas e aflitivas, como a que estamos passando com esta pandemia”, afirma Paulo.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

Fiéis rezando o terço em frente ao HRPT. Foto: Wilson Soares